sexta-feira, 3 de abril de 2009

O cheiro do ralo.




Moro em um apartamento pequeno, com três quartos que dão de frente para um hall, e que ficam de frente para o único banheiro da casa. Confesso que é um espaço pequeno para uma família de 5 pessoas, um gato e um cachorro grande, e especialmente por causa deste último, meu pai faz sempre questão de me lembrar disso.

Pois bem.

Ontem de manhã, meu soninho gostoso foi interrompido às 6 e meia da manhã por um cheiro insuportável de cocô. Um cheiro alcalino, forte o suficiente para acordar alguém em coma. Só consegui levantar a cabeça e ver no banheiro meu pai pelado, de cara amassada, defecando de porta aberta, fazendo questão com que todos na casa compartilhassem do momento com ele.

O odor, pra variar, invadiu toda a casa e não quis abandonar o recinto. Meia hora depois, quando acordei para tomar banho, o cheiro ainda preenchia a casa, todos os cômodos, um horror. Fui ao banheiro tomar banho, e senti na pele a fonte daquele fedor insuportável, o que por sinal destruiu a minha manhã.

Meu pai, como sempre, não falou nada. Tomou seu banho e se arrumou. Eu e meus irmãos também. O cachorro acordou e foi cheirar todo mundo, obviamente para saber a origem daquele aroma podre que ainda pairava no ar. E assim a casa ficou em silêncio nas primeiras horas da manhã. Estavamos todos em silêncio, quando ele mesmo resolveu quebrá-lo. Nem foi preciso alguém tecer comentário algum sobre cheiro que ele produziu. Antes disso ele fez questão de esclarecer:



- ESSA PORCARIA DESSE CACHORRO FICA CAGANDO A CASA INTEIRA!!!



E foi para o quarto sem falar mais nada. Minha mãe me condenou com o olhar, o cachorro não entendeu nada, meus irmãos reclamaram e meu pai não deu mais um piu. Acho que ele não percebeu que eu o tinha visto no banheiro minutos antes, então resolvi não comentar nada. Limpei o cocô do cachorro, que estava inofensivo no cantinho da varanda, tomei um copo de leite e saí de casa, ainda sentindo a atmosfera de tensão e maus odores. A casa, ao que parece, continuará sem espaço, pois finalmente, o cão serviu para alguma coisa.

2 comentários:

Carlos disse...

Eu ia acordar com aquela cara de "What the fuck?!?"
Huahuahuahua

mr. j thompson disse...

Aquelle Neureu vai ser a morte da familia um dia, haha.