quarta-feira, 1 de abril de 2009

Vovó chegou.




Minha vó tem Alzheimer e quando mudou pra nossa casa pra passar um tempo, logicamente mudou a rotina da casa. Todos fomos muito pacientes, inclusive Rosângela, que frisou não ver a hora de chegar uma vovó na casa. Nos primeiros meses, todo e qualquer ato de vovó era muito respeitado e compreendido:

- que barulho é esse filhinho?
- é o ar condicionado vó.
- hummm... bonito merrrmo hein.
- é, ele é sim.

3 minutos depois

- que barulho é esse?
- é o ar vó.
- o ar ta fazendo isso?
- é o ar condicionado, ali ó.
- hummm... bonito ele.
- aham.

5 minutos depois

- esse barulho... ta ouvindo?
- to sim
- é o que hein?
- é um shrobows peter pan, ali ó.
- é um o que?
- é um shrobows peter pan.
- diferente ele, não?
- sim, mas é novo.
- bem bonito.
- lindeza, né.

Descobri que podia me divertir um pouco também. Engraçado que depois de mudar o nome, ela não me perguntou mais. Ainda bem, pois eu estava pra desliga-lo ja. Ah mas vocês podem achar que eu sou um cretino de fazer isso. Sim, um pouco, mas depois de alguns meses, isso começa a incomodar.

Isso para Rosângela, foi um aprendizado para a vida. Aliás, para todos nós, mas especialmente para Rosângela. Sua raiva era o triplo agora. Vovó não era mais tão bem-vinda assim por ela. Certa vez, vovó caiu sozinha, machucou o braço e a levamos para o hospital. Meus pais estavam viajando e Rosângela se ofereceu para passar a noite com ela no hospital. Minha vó estava tomando uns remédios fortes que afetavam um pouco seu discernimento. Ficou num quarto com mais 5 camas, porém só tinha uma paciente junto. A partir de agora irei relatar o que Rosângela me disse.

CENA: 5 camas. 2 pacientes um pouco longe uma da outra. Rosângela.
Toda vez que a senhora da outra cama se mexia, vovó perguntava bem alto:

- MAS O QUE É AQUILO SE MEXENDO NA MESA? É UM GATO?
- fala baixo, pelo amor de deus.

A senhora na "mesa" se mexeu, segundo Rosângela, 13 vezes e em certo momento ela parecia se mexer bem lentamente para não ser chamada de gato de novo.

- carminha? ( sim, vez ou outra minha vó chamava Rosângela de carminha e ninguém sabe o por que)
- oi.
- tem um gato se mexendo ali em cima da mesa.
- não é um gato, é outra pessoa numa cama. (lendo revista, sem nem olhar pro lado)
- mas por que eu to com outra pessoa no quarto?
- tsc........ eu já vou tirar o gato da mesa pra você.
- obrigada carminha.

4 comentários:

anê disse...

HAHAHAHAHAAHAH muito engraçado.
o barulho do ar. bonito ele , não?

Concunhado do Walmor disse...

zééééééééé????

dani disse...

eu já ouvi essa história noventa e três vezes e to rindo do mesmo jeito que ri na primeira.
HUEAIHUEAIHUEAIHUEAHUEAUHEAHUEAUEA

Rafael C. Costa disse...

idem danii idem!!! uma das melhores da familia shrobows